10 de outubro de 2012

Tempo d'azáguas

A época das chuvas muda totalmente o cenário de Cabo Verde. As terras secas vestem-se de verde, há pasto para o gado, o milho começa a despontar. É sinal de bom ano agrícola.
Neste programa do Nha Terra Nha Cretcheu mostramos-lhe o significado da chuva num país que já sobreviveu a secas severas.
Fomos também ao interior de Santiago acompanhar atividades lúdicas em tempo de chuvas.
Nas cidades, a chuva é sinónimo de caos, inundações, casas destruídas. Nós mostramos-lhe porquê.

O escritor/compositor Kaká Barbosa acompanhou Giordano Custódio neste cenário idilico, que pretende homenagear a beleza das ilhas nesta época do ano.

RTP África
4ª, 10 out. 20h15 (CV); 22h15 (Pt); repete às 00h30
dom, 14 out. 16h30 (CV); 18h30 (Pt)

9 de outubro de 2012

Agência Caboverdiana de Imagens-showreel

video

ACI - comunicação e produção audiovisual em Cabo Verde.
Reveja alguns dos nossos trabalhos e comprove a qualidade.

3 de outubro de 2012

MINDELACT 2012 - 18 edição

O festival de Teatro Mindelact fez 18 anos. Atingiu a idade adulta e nós juntamo-nos a esta edição muito especial.
O Nha Terra Nha Cretcheu mostra-lhe os bastidores de um dos maiores festivais de teatro do continente africano. Mostra-lhe também o palco principal e todas as outras atividades paralelas que juntam atores, encenadores e agentes culturais.
 
 
 
 
 
João Branco é o fundador do Mindelact. Encenador, presidente da Associação Mindelact e responsável pelo pólo do Centro Cultural Português do Mindelo. Em pleno festival de teatro fomos saber dos nervosismos, dos hábitos diários para vencer o stress e de como este encenador se organiza para que a cada ano o Mindelact seja um sucesso.
Fonseca Soares, ator e membro da Associação Mindelact é o convidado de Giordano Custódio deste programa.
 
RTP África
4ª, 3 out. 20h15 (CV); 22h15 (Pt); repete às 00h30
dom, 7 out. 16h30 (CV); 18h30 (Pt
)

1 de outubro de 2012

dia de chuva em Santiago










 



 




 
 
Dar uma volta pelo interior da ilha de Santiago, nesta altura do ano, pode proporcionar imagens muito bonitas e interessantes, isto se não tivermos receios da chuva, lama, calor e saber que podemos passar alguma fome atè chegarmos a bom porto (leia-se "restaurante").
Fantástico andar sem rota certa, sem destino traçado. Apenas ir.
O verde abundante, a terra humida, a alegria das pessoas que aproveitam as águas para passar um dia com os amigos. Tudo isto enche de luz uma simples fotografia.
Que tal aproveitarem vocês também para fazer o mesmo?