15 de maio de 2007

NHA TERRA NHA CRETCHEU - 1º aniversário













Após 12 meses de emissões, do programa Nha Terra Nha Cretcheu, fazemos um balanço de tudo o que mostrámos aos espectadores.

Percorremos milhares de quilometros, seja de carro, de barco, de avião ou mesmo de "hiaces", para ir ao encontro de tanta e tanta gente. Fomos já a quase todo os locais onde se encontram cabo-verdianos, para contar as suas histórias, mostrar os seus costumes e tradições, a sua cultura, ouvir as suas musicas, mas principalmente, dar a conhecer o "ser crioulo".

Esta emissão faz uma retrospectiva dos locais, dos convidados, das viagens, de pessoas a quem prestamos a nossa homenagem e de artistas que emprestaram as suas musicas para abrilhantarem o programa.
Comemoramos este primeiro aniversário de emissões na RTP África na 5ª feira, dia 17 de Maio (às 22h-Portugal; 20h-Cabo Verde) e no sábado 19 (às 16h45-portugal; 14h45-cabo Verde).

3 comentários:

Anónimo disse...

Exmº Senhor Pedro Moita

Folgo em saber que esse programa existe faz mais de um ano. Independentemente de todas as opiniões expressas por todas as facções políticas, é um bom programa. Tem umas imagens relativamente bonitinhas (mas com vários erros do ponto de vista técnico), bem escrito, bem coordenado e bem realizado.
Agora, fico um pouco chocado com as fotografias que o senhor coloca no blogue. Tenho profundas raízes com esse país e tive a oportunidade de ver e acompanhar o nascimento desse programa.
Fico bastante chocado com as fotografias que o senhor coloca no blogue. Então será, por algum acaso, você e a rapariga portuguesa os grandes elementos do programa? Acredito que sim, mas bem lhe disse que acompanhei o nascimento do projecto e acho inadmissível você não mostrar nenhum dos outros elementos que deram vida ao início do programa.
Foram vários os portugueses que estiveram envolvidos no programa, durante o seu início... E fotos deles... NADA!!!! É de egoísmo atroz e parece demonstrar bem a sua personalidade mesquinha e egocentrista.
Não estou a pedir-lhe nada. Apenas a referir o seu péssimo gosto e má personalidade em n mostrar aqueles que realmente transformaram o Nha Terra, Nha Cretcheu em realidade.
Nem sequer aparecem os elementos Cabo-Verdianos que durante tanto tempo vestiram a camisola e, incansavelmente, trabalharam, trabalharam, trabalharam.
Egoísmo é muito negativo sabia?
Mas a verdade será repostas e a justiça será feita. Não através de 1 ou 2 fotos que irá colocar no site a correr. Mais calma... A longo prazo justiça será feita.
Um abraço de quem está aqui bem perto!

Soraia disse...

Ameaças anónimas? Ao menos identifique-se antes de "repôr" a verdade de que tanto fala. Cobardia...

Pedro Moita disse...

Devo esclarecer o excelentissimo "Anónimo" que este blogue (o qual teve o amável trabalho de visitar) é, se não mais, do que uma página pessoal-minha e de mais dois elementos. PESSOAL e não corporativa do programa para o qual contribuo com o meu trabalho. Agora entendeu????

Significa portanto, amável "Anónimo", que aqui publicamos o que bem entendermos, seja de carácter pessoal (fotos, textos...) ou de trabalhos da empresa que produz o Nha Terra Nha Cretcheu.

Como não entendi a sua mágoa e o seu "choque" perante o post ao qual deixou este comentário, deixo-lhe a dica de visitar os arquivos deste blogue (já existe hà 22 meses). Aí poderá ver "as caras" de toda a gente "QUE TRABALHOU OU AINDA TRABALHA" no programa, tanto portugueses como cabo-verdianos. E se, como diz, acompanhou o inicio da produção do programa, saberá que lá não falta ninguém - ou será que deveríamos nós colocar uma foto sua neste blogue????
-Mas, como não se identifica, eu imagino que tenha vergonha da cara que tem.
-Se falta alguém diga, então, quem.

Agradecemos as opiniões que fez em relação ao programa - contribuem para um trabalho melhor. (Vou continuar a tentar fazer umas "imagens bonitinhas" de Cabo Verde).

Se me intitula de alguém com personalidade mesquinha, egocentrica e de egoismo atroz, isso só pode ser RAIVA ou CIUME. Com tanta adjectivação é porque gasta demasiado tempo a pensar em mim.