13 de novembro de 2005

Adeus Fogo

Acordei...pela última vez no alto da pequena colina onde se ergue a casa de férias dos Barbosa Vicente.
Olhei para a sala repleta de fotografias já desbotadas pelo sol. Seis gerações, que começaram com uma nobreza lusa chegada à ilha há procura de uma última oportunidade. Proscritos que enriqueceram, casaram e formaram uma genealogia rica que marcou a história de São Filipe.

Desci à cidade para me despedir dos sobrados e do casario colorido e bonito que dá ao povoado um encanto que ainda não encontrei noutro lugar.
São Filipe é uma cidade calorosa e muita familiar... São Filipe marca e deixa saudades...

Pouco mais de 20 minutos de avião e estou de novo na Cidade da Praia. Volto às vistas cinzentas das casas de cimento inacabado, volto aos bairros sujos e pejados de gente muito pouco acolhedora.
Terei de me habituar. Na Praia há poucos rostos humanizados. Aqui falta o sossego, a hospitalidade e o carinho de ouvir um bom dia em cada esquina... mimos a que me fui acostumando durante uma semana na ilha do Fogo.

6 comentários:

Anónimo disse...

carinho...hospitalidade....é bom que não te habitues mesmo, que é o que de menos vais encontrar pela vida fora.

Simulador sísmico disse...

Aqui o tempo começa a ficar bom. Já há algum frio, mas infelizmente não chove, nem neva nem graniza... Mas o tempo já começa a pedir tintos encorpados, o que é bom

Anónimo disse...

deixa lá, aqui em Lisboa os rostos deshumanizados é o que mais há....as capitais , pobres ou ricas...são sempre assim, encobertas de pó económico, sorrisos amarelos e falsas modéstias.....
bj

Roberto Iza Valdes disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...

Parabéns

Anónimo disse...

Parabéns