12 de novembro de 2005

Fogo... que encanto


Na ilha do Fogo sente-se a amizade e a morabeza caboverdeana. Sente-se o calor das gentes que nos recebem com historias para contar, sempre com um sorriso contagiante.

Sente-se a genuinidade de homens que falam orgulhosamente dos seus 30 ou 40 filhos(sim, leram bem) que nascem no calor do vulcao, principal marca da vida de quem habita a ilha do Fogo.

Conhecemos um desses homens, daqueles cuja energia rivaliza com a força do vulcao- nhô Socorro. Habitante de Cha das Caldeiras, alegre, bem disposto e com um memoria de fazer inveja.
Recebeu-nos sem cerimonia e falou das erupçoes, dos amores das gentes da Cha, dos casamentos, das descendencias e daquelas historias que por la se ouvem.

Valeu a pena a conversa com nhô Socorro.

2 comentários:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
gisell disse...

nhô Socorro...cada segundo que aí passas...o teu coração enche-se de encantos..estórias daquelas que pensamos que não existem senão na ficção.....deve ser de facto um Fogo... que encanto!...o mesmo encanto que eu capto pela simples observação de uma foto digital...e as lágrimas vieram-me aos olhos pelo simples facto de sentir o que sabes...e de muitas vezes não conseguir traduzir em palavras o que sei, o que sinto e o que capto do que observo....